JUSTIÇA

Celso de Mello determina depoimento presencial de Bolsonaro.
Decano do STF não acolheu pedido para que depoimento fosse por escrito. no inquérito que investiga suposta interferência na PF.




Celso de Mello determina depoimento presencial de Bolsonaro

O decano do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Celso de Mello, decidiu não acolher o requerimento do Procurador-Geral da República, Augusto Aras, para que o presidente Jair Bolsonaro preste depoimento por escrito no inquérito que investiga suposta interferência na Polícia Federal por parte do presidente.

Desta forma, Bolsonaro terá que prestar depoimento presencialmente.

A suposta interferência de Bolsonaro foi apontada pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro na reunião ministerial de 22 de abril, o que motivou o seu pedido de demissão. O inquérito foi aberto em maio como base acusações de Moro. Bolsonaro nega ingerência na PF.

Na decisão, o ministro Celso de Mello afirma que o depoimento presencial só é permitido aos Chefes dos Três Poderes da República quando eles são testemunhas ou vítimas. E não quando são investigados ou de réus.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM