GOVERNOS

Governo recria comissão com 15 ministérios em prol da Amazônia.
Vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, fez o anúncio em reunião com representantes de países que têm a floresta em seus territórios.




Para Mourão, há muita desinformação sobre a região Adriano Machado/Reuters - 15.07.2020

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, anunciou nesta terça-feira (11) a recriação de um conselho que reúne 15 ministérios do país para proteger a Amazônia e coibir o desmatamento. 

O decreto com a recriação da Comissão Nacional da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica, de 2002, foi publicado nesta terça no Diário Oficial da União pela Secretaria-Geral da Presidência da República. 

O vice, que participou do painel "Soluções inovadoras para a conservação e o desenvolvimento sustentável da Amazônia” em uma reunião virtual dos chefes de estado dos países que têm a floresta em seus territórios, disse que os incêndios florestais recentes mostraram ao governo que a preservação da região "ocupa um lugar especial no imaginário ambiental do mundo moderno".

"Também se verificou uma grande desinformação a respeito da realidade social e econômica da região", declarou o general da reserva do Exército.

Mourão lembrou, no entanto, que os últimos dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais), de julho, mostram um desmatamento menor que o do mesmo mês do ano passado.

Segundo o vice, a nova comissão trabalhará em três pilares: proteção, conservação e desenvolvimento sustentável da Amazônia. Disse ainda que o grupo manterá uma fiscalização dura na região sem sufocar atividades econômicas.

Por fim, comentou na reunião que as ações para preservar a região serão financiadas por investidores, fundos e bancos. "O protagonista do desenvolvimento sustentável na Amazônia será o setor privado, não o Estado", garantiu.

Ações do Conselho da Amazônia começam a dar resultado

Durante participação no 2º Encontro Ibero-Americano da Agenda 2030 do Poder Judiciário, nesta segunda-feira (10), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou que as ações do Conselho da Amazônia, órgão comandado por ele, já começam a dar resultado.

"Os dados do sistema Deter do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontam para uma redução do desmatamento em julho deste ano, quando comparado com o mesmo mês do ano passado. Os números ainda são preliminares e insuficientes, mas sinalizam para uma importante reversão de tendência fruto da ampliação das ações de comando e controle”, comentou.

Segundo Mourão, “os crimes ambientais deixam nosso país vulnerável a campanhas difamatórias, abrindo caminho para que interesses protecionistas levantem barreiras comerciais injustificáveis contra as exportações do agro negócio".

O presidente do Conselho da Amazônia disse também que o governo federal busca formas de financiamento internacional para pôr em prática a preservação da região, e acrescentou que foram retomadas as negociações para reativação do fundo amazônico.

"Hoje terei o prazer de participar da reunião dos chefes de estado dos países amazônicos. No qual serão discutidos os avanços das políticas ambientais de nossos governos e na cooperação do desenvolvimento sustentável desse bioma que compartilhamos.”





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM