JUSTIÇA

CNMP vai investigar Dallagnol por criticar decisão de Toffoli que suspendeu ação de busca contra José Serra.
Tem muita gente poderosa envolvidos, o problema são as blidagens.




Deltan Dallagnol

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), vai investigar o Procurador-Geral da República e Coordenador da Força-Tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba Deltan Dallagnol após ele criticar a decisão do ministro Dias Toffoli presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu as buscas ao gabinete do Senador José Serra (PSDB), na última terça-feira (21).

A decisão do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, de suspender a busca e apreensão no gabinete do senador José Serra (PSDB) em Brasília irritou membros da Lava Jato.
Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, fez uma sequência de posts para argumentar contra a decisão de Dias Toffoli.

Ao pontuar seus motivos, o procurador afirma que, se a PF encontrasse alguma prova no gabinete do senador, esse material seria “submetido à jurisdição do STF “, o que é

“suficiente para preservar a jurisdição do tribunal”.

Ele ainda diz que se “a moda pega”, o mesmo argumento de Toffoli “poderia ser utilizado contra buscas e apreensões em quaisquer lugares”.
O procurador afirmou que o ministro do STF Celso de Mello, no ano passado, deu outro rumo à decisão semelhante.

‘Ninguém está acima da autoridade das leis e da Constituição da República’, enfatizou o decano do STF, acrescentando que o postulado republicano repele privilégios e não tolera discriminações – escreveu Deltan, citando Celso de Mello.
O despacho do CNMP foi assinado pelo corregedor Rinaldo Reis Lima. CNMP tem objetivo de fiscalizar atuação dos procuradores.


 


Confira o vídeo:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






JUSTIÇA  |  02/08/2020 - 15h