EDUCAÇÃO

Startup apoiada pela Finep ganha prêmio internacional da ONU, em Viena.
Uma das principais vantagens da inovação diz respeito à portabilidade, que permite que o aparelho seja levado às comunidades mais remotas ou carentes.



Apoiada pela Finep – Financiadora de Inovação e Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Phelcom, startup ligada ao Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, recebeu, no último dia 17/12, o prêmio WSA (World Summit Awards), iniciativa relacionada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU), na categoria Saúde e Bem-Estar.

O prêmio tem como objetivo reconhecer tecnologias que promovam a resolução de problemas da sociedade e a seleção das 40 empresas que trazem impacto positivo mundial. A outra brasileira da lista é a startup GreenPlat, de São Paulo.

Os finalistas foram avaliados por um júri de especialistas internacionais e julgados em termos de sustentabilidade, objetivos, técnica e estratégias.

“Os desafios deste ano mostram mais do que nunca o quanto os meios digitais podem oferecer progresso e soluções. Os vencedores apresentaram uma excelente vitrine de inovação e empreendedorismo voltados para o propósito", afirmou o presidente da WSA, Peter A. Bruck.

Segundo José Augusto Stuchi, sócio e CEO da Phelcom Technologies, receber o prêmio em meio à pandemia é um incentivo para alçar voos ainda maiores.

“Toda a equipe Phelcom está honrada por receber um prêmio desta importância. Tal reconhecimento representa que nossos valores e esforços para mudar a realidade da saúde visual no mundo estão alinhados com os objetivos de outras pessoas e instituições, como as Nações Unidas e a WSA, de mudar a qualidade de vida e saúde da população mundial”.

A Phelcom será homenageada no WSA Global Congress, durante uma audiência internacional, de 22 a 24 de março de 2021.

Saúde e Bem Estar

A Phelcom, startup incubada no Supera Parque, desenvolveu o Eyer, retinógrafo portátil que permite a realização de exames oculares, de frente e fundo de olho, a partir de um equipamento acoplado a um aparelho celular. Com ele é possível diagnosticar doenças que afetam a visão como a retinopatia diabética, glaucoma, degeneração macular relacionada à idade, entre outras.

“A solução desenvolvida pela empresa permite democratizar o acesso a exames de retina e ajuda na prevenção da cegueira e deficiência visual grave, que atinge cerca de 250 milhões de pessoas e mais de 75% dos casos poderiam ser evitados. São doenças que muitas vezes, se não tratadas, podem levar à cegueira”, explica Stuchi, cofundador da startup.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 80% dos casos de cegueira no mundo são evitáveis.

Uma das principais vantagens da inovação diz respeito à portabilidade, que permite que o aparelho seja levado às comunidades mais remotas ou carentes. “O aparelho é portátil, leve e de fácil operação, o que significa que qualquer profissional de saúde minimamente treinado pode usá-lo para realizar exames de retina em menos de um minuto. 
Os exames são automaticamente sincronizados com a internet, habilitando o diagnóstico remoto”
, diz. Os aparelhos estão há um ano e meio no mercado com aprovação do Inmetro e Anvisa.

*Mais detalhes: www.phelcom.com.br/en

Fonte: Finep e WSA



Confira o vídeo:




Galeria de Fotos:



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Participe do nosso grupo e canal do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



EDUCAÇÃO  |   27/01/2021 22h24





EDUCAÇÃO  |   26/01/2021 10h33


EDUCAÇÃO  |   24/01/2021 18h34